Rally Rota Sudeste: Navegador de Teresina conquista título do campeonato brasileiro por antecipação

Após 250 quilômetros de trechos cronometrados, divididos em dois dias de prova, a dupla Luiz Facco (SP) e Humberto Ribeiro (PI) finalizou como vice-campeã da 10ª edição do Rally Rota Sudeste. Na categoria Pró Brasil, a dupla também garantiu o segundo lugar com a somatória dos resultados de sábado (3º Pró Brasil) e domingo (3º Pró Brasil). Mas a conquista maior foi sair de São Manuel, no interior paulista, como Campeã Brasileira de Rally Cross Country 2016 na categoria Pró Brasil, por antecipação, uma vez, que a última etapa será o Rally dos Amigos, em dezembro.

O rali de rodada dupla agradou os competidores de carros, motos, quadriciclos e UTVs e teve o mesmo percurso (125 quilômetros de Especiais) nos dois dias de disputa, em meio a plantações de cana e eucaliptos, piso arenoso e de cascalho, com saltos, trechos travados e de alta velocidade. E como penúltima prova da temporada teve um peso importante, por somar pontos para as 11ª e 12ª etapas do certame nacional.

O navegador Ribeiro, que reside na capital Teresina, está no time há quatro temporadas e destaca um diferencial: “Na maioria das vezes as equipes se preocupam em desenvolver carros rápidos e potentes, mas nem sempre são confiáveis. A nossa equipe trabalhou primeiramente para ter um carro estável e seguro e depois o tornou mais veloz”. Segundo o competidor, esse foi o caminho certo a seguir. “Como resultado deste trabalho, desde que entrei na equipe Acelera Siriema, conquistamos dois títulos brasileiros (2013 e 2016) e fomos campeões do Rally dos Sertões (2015) na categoria”, diz.

Já no sábado (5), Facco e Ribeiro, que lideravam com folga o campeonato, conquistaram o título brasileiro. “Tivemos uma prova interessante no fim de semana e sair com o título foi bem gratificante. Porque não teríamos conquistado esse tricampeonato não fosse o bom trabalho que a equipe tem realizado nos últimos quatro anos”, ressalta o piloto da Mitsubishi L200 Triton SR. Neste ano, a dupla venceu também, na categoria Pró Brasil, o Rally RN 1500 (abril) e o Rally Rota SC (julho).

Créditos: Luciano Santos

Experiência de Ribeiro fez a diferença – Quem conhece rali sabe que a função do navegador é ser os olhos do piloto, uma vez que é ele quem está com a planilha e referências da prova. No sábado, a destreza de Humberto Ribeiro mereceu destaque, pois navegou praticamente todo o percurso de 125 km de trechos cronometrados por meio de mímica e uma linguagem de sinais que ele e o piloto criaram para driblar a falha do intercomunicador, item fundamental acoplado aos capacetes que faz o piloto e navegador se comunicarem durante a competição.

“O Intercom quebrou logo no km 2 e foi a primeira vez que fiz um rali por mímica e sinais, porque se fosse no grito não daria certo”, conta Ribeiro. “Combinamos uma série de sinais para as marcações mais importantes da planilha, que estava perfeita. E graças a nossa sintonia e experiência completamos a prova, ainda, com o terceiro tempo da geral “, contata o navegador.

Páginas: 1 2

`